14323356Carolina Maria de Jesus é uma das maiores escritoras brasileiras, conhecida principalmente pelo livro “Quarto de despejo”, publicado em 1960 e hoje traduzido para 13 idiomas. Carolina nasceu em 1914, em Minas Gerais, em uma comunidade rural. Ela era filha ilegítima de um homem casado, o que fez com que fosse expulsa da Igreja Católica ainda muito jovem. Quando sua mãe morreu, em 1937, Carolina migra São Paulo. Já na metrópole, ela construiu sua própria casa, usando madeira, lata e papelão.

Todas as noites, coletava papel para sustentar a família. Carolina guardava livros e revistas velhas para escrever em suas folhas, e começou a relatar o seu dia-a-dia. Nos diários que mantinha, ela detalhava o cotidiano da favela e de deus moradores, descrevendo de forma direta os fatos políticos e sociais que via. Seus vizinhos, em sua maioria não alfabetizados, se sentiam constrangidos e desconfortáveis. Quando jovem, Carolina teve diversos envolvimentos amorosos. Mas sempre se recusou a casar, por ter presenciado muitos casos de violência doméstica. Teve três filhos, e cada um de um homem diferente.

carolina 2O diário de Carolina foi publicado em 1960. Em 1958, o jornalista Audálio Dantas cobria a abertura de um parque municipal. Quando a cerimônia de abertura foi encerrada, uma espécie de gangue invadiu o local, aterrorizando as crianças. Carolina então gritou para que eles saíssem do local. Caso contrário, ela os colocaria em seu livro! Dantas, então, perguntou o que ela queria dizer com aquilo e apesar de tímida, Carolina mostrou-lhe sua obra. Ele publicou um trecho no jornal. Em pouco tempo, o livro Quarto de despejo foi publicado.

A tiragem inicial do livro se esgotou em uma semana. O livro, escrito em linguagem simples, foi traduzido para muitos países. Carolina ganhou notoriedade, mas também a hostilidade de seus vizinhos. Carolina tem uma obra extensa. Além de “Quarto de despejo”, ela escreveu ainda outros livros, alguns que sequer foram publicados, além de centenas de textos, entre poesias, peças de teatro e marchas carnavalescas. O Museu Afrobrasil está homenageando a escritora com uma exposição chamada “Carolina em Nós”. Idealizada pelo grupo Ilú Obá de Min, que vem promovendo a cultura afro-brasileira em São Paulo há cerca de dez anos, a exposição gratuita vai até o dia 31 de janeiro.  http://www.museuafrobrasil.org.br/programacao-cultural/exposicoes/temporarias/detalhe?title=%22Carolina+em+N%C3%B3s%22